quarta-feira, 8 de março de 2017

Copo Menstrual









Já há algum tempo que queria partilhar este tema que para mim é uma opção que faz toda a diferença na minha vida e como em Portugal ainda é um tema pouco conhecido, fica aqui a partilha.


O copo menstrual é uma alternativa simples, prática, higiénica e económica aos absorventes. Trata-se de uma taça feita em TPE (Elastómero Termoplástico), o mesmo material utilizados nas tetinas dos biberões dos bebés, em cateteres e implantes médicos, e que colecta o sangue menstrual. Tem um prazo de validade muito alargado, o que o torna reutilizável. O copo menstrual é inserido no canal vaginal, tal como um absorvente interno (tampão). Uma vez dentro do corpo, retoma a sua forma original ajustando-se perfeitamente ao canal vaginal formando um vácuo que impede qualquer vazamento. Para o remover, basta puxar a pega devagar ou apertar a base para quebrar o vácuo. Assim, o copo é retirado com toda a facilidade podendo ser esvaziado na sanita, lavado e novamente inserido. Um copo menstrual pode ser usado por até 12h, evitando o incómodo de mudar de absorventes várias vezes ao dia.
Os primeiros copos menstruais surgiram na década de 30 e hoje são produzidos em diversas partes do mundo como o Canadá, Finlândia, República Checa, África do Sul, Estados Unidos, China, Alemanha, França, Índia e Inglaterra, com autorização e aprovação das agências de segurança alimentar e médica.
Segurança e ética Não possui aditivos químicos (lixívia), ao contrário do que acontece com os absorventes e que podem causar alergias e irritação. Como o sangue se mantém em vácuo, não oxida, e não se verifica a proliferação de bactérias e fungos, evitando a síndrome do choque tóxico e outras infecções, directamente associados ao uso dos absorventes tradicionais. Rigorosamente testado, mas não em animais.
Conforto Os copos menstruais foram desenvolvidos por ginecologistas para se adaptarem perfeitamente à anatomia feminina, vedando completamente o canal vaginal, evitando dessa forma fugas de sangue. Fabricado de um material altamente maleável e confortável, possibilita o seu uso na prática de todo o exercício físico, na praia e durante a noite. Por não ser absorvente, mantém a humidade e a protecção natural da vagina e não alterando o seu PH natural.
Diminuição de resíduos Segundo especialistas o tempo máximo de uso de absorventes não deve ser superior a 4h, na medida em que, partir daí, o ambiente vaginal torna-se propício à proliferação de fungos e bactérias, provocando desta forma, as infecções. Assim sendo, serão consumidos cerca de 30 absorventes por mês, 360 por ano e 3600 em dez anos dependendo da intensidade do fluxo.
Economia O preço de um pacote de absorventes pode não parecer significativo, mas vários anos de uso frequente gera um gasto imenso. Estima-se que mensalmente cada mulher gaste em absorventes (pensos e tampões) cerca de 7,50 euros. Assim sendo, o uso de um único copo menstrual fica pago em três ou quatro meses de utilização, e dura anos, se devidamente manuseado!
Preço O preço de cada copo menstrual varia entre os 21€ e os 24€ euros. Existem pelo menos duas marcas no mercado português  LUNETTE e MELUNA.
Para comprar on-line  http://www.lunette.pt/ ou http://www.meluna.pt/ .
Nos restantes locais de venda Well’s do Continente, Corte Inglés e nas farmácia.
Tamanho O copo existe em vários tamanho dependendo do peso, altura e se teve ou não partos vaginais. Para sabermos qual o tamanho ideal em ambos os sites tem essa informação.
Informação e imagens retirados do site http://www.lunette.pt/

Sem comentários:

Publicar um comentário